terça-feira, 9 de novembro de 2010

TENTANDO "ENTENDER" A "NOSSA" SAÚDE - por César Morais

Tentando "entender" a "nossa" Saúde...(reflexão) por César Morais -Terça-feira, 21 de Setembro de 2010 às 19:04.

Com os maiores agradecimentos ao amigo Dr. César Morais por me ter autorizado a partilhar este artigo, quer através do meu blogue quer nas aulas que dou na ACTIS - UNIVERSIDADE T.I. DE SINTRA.

Qualquer bom Terapêuta tem de "entender" correctamente e bem, qualquer pessoa que o procure. Tem de o entender de uma forma, como se diz hoje frequentemente, holística, total, global.
Então há que entender que cada ser humano é uma "entidade complexa", como se fossem "3 em um".
- Tem uma vertente Psicológica, a sua Mente, que para ter um alto nível de saúde, deve ter muita resiliência; ela tem as suas próprias capacidades, competências e potencialidades, mas também as suas próprias necessidades, falhas e até limitações; é importante a promoção da resiliência mental das pessoas.
- Tem uma vertente Biológica, o seu Corpo, que para ter um alto nível de saúde, deve ter muita resistência; ele tem também as suas próprias capacidades, competências e potencialidades, e também, as suas próprias necessidades, falhas e limitações; é importante promover a resistência somática das pessoas.
- Tem uma vertente Espiritual, a sua Alma, que para ter um elevado nível de saúde, deve ter muita força anímica; ela tem também as suas próprias capacidades, competências e potencialidades, mas também as suas necessidades, falhas e limitações; torna-se importante promover a força anímica das pessoas.

E para que esta Entidade tenha um alto nível de saúde... é também necessário que tenha uma elevada Congruência Interna Psicobioespiritual!

Mas como todo o ser humano está inserido nos ambientes em que vai decorrendo a sua vida, de uma forma interdependente... Para que este Ser tenha um alto nível de saúde, torna-se também necessária a sua boa Integração Externa Ambiental!
Assim o conceito de saúde actual já não é o da OMS de 1946...agora a Saúde é o mais alto nível de resiliência psicológica, de resistência biológica, de força anímica, de congruência psicobioanímica interna e de integração ambiental externa, conseguido pela própria pessoa (responsabilidade pessoal), a cada momento da sua Vida.

O terapêuta pretenderá pois, apoiar as Pessoas no seu objectivo muito pessoal de conseguirem ter atitudes, comportamentos e hábitos que concorram para aumentarem o seu nível de Saúde - (entendida daquela maneira).

Outra novidade é o novo paradigma da "Sobreposição de Saúde e Doença" em todos nós... "ninguém é completamente saudável, nem tão pouco, totalmente doente".
Todos nós temos alguma Saúde Restante... e algum Grau de Gravidade de Doença!...Ou um dente cariado!... ou uma dor nas costas!... ou uma preocupação com o computador que não está a funcionar bem!... ou sofre porque um amigo lhe disse alguma coisa que o está a magoar!... ou uma Diabetes!... ou uma Hipertensão Arterial!... Mas tudo o resto, está plenamente BEM!

Temos de "agarrar" na nossa Saúde Restante... compreendendo as nossas capacidades, competências e potencialidades... bem como as nossas necessidades, falhas e limitações... Psicológicas, Biológicas, e Espirituais... e procurar aumentar a nossa "robustez" Psicológica, Biológica e Anímica... aumentar a Congruência Interna entre elas... e aumentar a nossa Integração nos Ambientes (sociais, físicos, químicos e biológicos) em que vivemos.
..................................................................................................................................................................

GUARDEI DUAS OU TRES RESPOSTAS AO ARTIGO DO AMIGO CESAR ALVES, retirando, por questão de privacidade, os nomes das pessoas.

15/9 - C. C. - Amigo, fez-me pensar nas horas que passo em frente ao computador, ´sendo a escrita uma paixão, só acabo quando não aguento mais, lá para as tantas, quando a noite dá a mão à madrugada. Este, também é O MEU PECADO.(como o título do meu 1º.romance) Não consegui ainda mudar apesar das promessas, mas este seu artigo fez-me fazer uma avaliação pessoal. Quando a família diz, vamos dizendo que sim, quando alguém como o César o diz, é mesmo obrigatório repensar. Obrigada. Se me permite, também vou partilhar. Quem sabe irá ajudar mais alguém?
15/9 às 23:09 · h.l. Uma bela introducao ao alcance de todos, sobre um tema bastante complexo e que normalmente eh tratado em circulos academicos restrictos da especialidade...Cada vez mais se exige, a cada um de nos, uma actitude menos passiva/mais consciente na busca do nosso propio equilibrio e bem estar da nossa saude! SEMPRE foi assim no entanto as atribulacoes da vida moderna cobra-nos uma "exigencia" maior dessa responsabilidade pessoal. OBRIGADO pela reflexao trazida caro Cesar.
16/9 às 4:34 ·M.B. M - Cesar, tudo o que nos diz na sua "reflexão" é realmente muito importante, especialmente para aqueles que, tal como eu, um dia receberam um dos diagnosticos mais temidos. Apercebemo-nos então (um pouco tarde talvez) de como esse equilibrio é... tão necessario para a nossa saude. Penso que o estresse cronico impede que tenhamos a força animica necessaria para conseguirmos uma otima saude . Ha também pessoas que se rendem à doença e nada fazem para tirar partido da tal "saude restante" para a combater. Muito obrigada, Cesar.Ver mais
16/9 às 18:12 · O nosso amigo A. C. da Beira : Obrigado Doutor pela Sua excelente lição..Se todos os médicos,assim fossem!...Belo, Belíssimo..Eu estava a precisar de ler a Sua magnífica mensagem..Que Deus Lhe pague..Kanimambo.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...