segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

SOU DONA DE UM RAIO DE SOL, Celeste Cortez





          O meu sol, o meu mar, as minhas ondas a saltitar. Quem tem isto e tem saúde é rico, muito rico. Eu sou!...
         Mas não sou egoísta, o meu sol, o meu mar, as minhas ondas a saltitar, também vos pertencem. Pertencem a todos nós, embora eu diga no meu poema que "Sou dona de um raio de sol". Mas... cheguei à conclusão de que não era meu. É nosso, de todos nós. Sejamos gratos por esta Benção.

SOU DONA DE UM RAIO DE SOL, Celeste Cortez (do livro Lentes de Emoção) 

SOU DONA DE UM RAIO DE SOL    


Sou dona de um raio de sol
Brilhante, fluorescente,
Que vem todos os dias beijar-me à janela
- Ai dele que não viesse!
Eu o obrigaria,
- Afinal quem manda nele sou eu.
- Serei?

Sou dona de um raio de sol
Reluzente, resplandecente
Que rasga cada nuvem e através dela
Dá um salto e vem beijar-me à janela
- Ai dele que não viesse!
Eu protestaria
- Poderia?

O raio de sol,
Brilhante, fluorescente,
Reluzente, resplandecente
Desapareceu.
E eu, o que farei sem ele?
Nada! Nada!   
O raio de sol não era meu!


-oOo-

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...