terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

AMÉLIA LUZ - POETA BRASILEIRA

A poetisa Amélia luz, com seu marido à direita da foto, tendo no lado esquerdo o Dr. António Gomes da Costa, Presidente do Real Gabinete Português de Leitura, no Rio de Janeiro. 


AMÉLIA LUZ, de seu nome AMÉLIA MARCIONILA LUZ, é uma poeta brasileira.  

Publicamos a seguir um poema seu, muito profundo, de muito conhecimento, sob o título:
Ibéria, Histórica Ibéria.
Quando o homem recortou a península
Olhando o céu, dividiu as estrelas,
Contemplando o mar soprou as caravelas
Que vazaram as espumas do oceano
Em busca da expansão ultramarina...
Portugal, herói aventureiro das águas.
A Escola de Sagres: “Navegar é preciso!”
Atravessei o Atlântico em caravelas errantes
Conheci Camões, Pessoa e Eça
De quem herdei e falo a língua-mãe!
Na Hispânia convivi com povos guerreiros
Califados e clero em disputas terrenas
Nas lutas enganosas pela fé.
Cristianismo, Islamismo e Judaísmo,
Aromas misteriosos de incenso forte
E brilho de fogo nos olhos dos mouros...
A valentia semítica enfrentando tempestades
Buscando oásis nos montes da Serra Morena
Ou nas planícies da Andaluzia...
Invadidos e invasores nas rotas sangrentas de Leão e Castela,
Raízes latinas que palpitam na minh’alma
Em sombras e clarões, através dos séculos...
Romanos penetrando em centúrias na península
General, o guerreiro Cipião,trazendo na boca o latim,
Plantando a “flor do Lácio” em novo e rico chão.
A força da Península em missão civilizadora,
O Império Colonial Espanhol e Português,
Batizando a América, meu berço, minha origem!
De barro português fui feita: descobridores cobiçosos,
Bravos bandeirantes, feitores, escravocratas,
Algozes capitães do mato, tropeiros, garimpeiros,
Senhores de Engenho, Barões do Café,
Ou pedreiros, padeiros, feirantes,
Mascates, ferreiros ou carapinas!!!
Ibéria, Ibéria, a mediterrânea, olé... olé...
Portugal, Portugal, ultramar e latino,
Dentro do meu coração de além-mar...
Chora o mesmo fado, a canção, o verso,
Na poesia de todo dia, que teima a bater-me à porta...


SEGUE-SE NOVO POEMA DE AMÉLIA LUZ. Este descrevendo quem é SACI PERERÊ, (entidade fantástica do Folclore Brasileiro):

O gomo do bambu partiu e,
uma coisinha estranha de lá saiu,
gemendo, espreguiçando...
Mamãe Saci colocou-lhe um barrete vermelho,
-“Para lhe dar boa sorte” – disse!
Papai Saci deu-lhe alguns conselhos
E um velho cachimbo, ensinando-lhe
(só de brincadeirinha) as primeiras baforadas!
Sacizinho firmou a sua perninha, (era uma só),
deu alguns rodopios, treinou seu agudo assobio
e saiu pela mata e pela fazenda
fazendo muitas estripulias:
assustou o pobre lenhador,
soltou a bezerrada do pasto,
espantou as galinhas que estavam no choco,
quebrou todos os ovos do galinheiro,
fazendo ainda estragos no milharal e na horta!
Sinhozinho, no alpendre apavorou-se...
Era noite de sexta-feira, noite de lua cheia
e a situação estava ficando muito feia.
Chamou Nhá Nastaça para rezar
com galho de guiné e assim,
espantar os maus espíritos.
Correu até a sala. Carrilhão batia seis horas,
 
sol se escondia, noite chegava.
Com a taça na mão procurou água na moringa
viu que estava toda derramada,
nem uma só gota para molhar a goela seca.
O danadinho passou por aqui - pensou assustado!
Escutou bem perto um assobio ensurdecedor,
um arrepio correu-lhe pela espinha,
 
os cabelos dos braços arrepiaram, tal o medo!
Um vento forte vazou a sala...
Pela janela do casarão,
o Sacizinho saiu voando em disparada!
Crendice? Feitiço? Coisafeita???
Que nada! Era mesmo o Coisarruinzinho
visitando o patrão e fazendo as suas atrapalhadas!!!


Mas temos mais para mostrar desta Poeta querida. Amélia Luz também é poeta aldravianista, Aqui ficam algumas aldravias dela: (este tipo de poesia está descrito neste blogue, basta procurar por ALDRAVIA. 

QUÉDÊ A ALDRAVIA? Não olhe para trás nem para baixo leitor, a aldravia está mesmo, mesmo na cara do palhaço. Boa!



3 comentários:

Amélia Luz disse...

Agradeço a publicação do meu poema. EMOÇÕES sinto neste momento.

Amélia Luz disse...

Uma honra para mim estar publicada em tão importante página literária. Agradeço.

Angela Fonseca disse...

Muito orgulho por termos uma escritora cheia de conteúdo histórico e sensibilidade poética. Parabéns, Amélia! Agradecemos pelo reconhecimento de nossa amiga portuguesa Celeste Cortez. Abraços às duas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...