sábado, 12 de setembro de 2015

A poesia é isto: sentimento, musicalidade, profundidade.

Só algum poeta privilegiado poderá dizer que todos os dias, sempre que quer, aparecem as palavras e faz o poema... provavelmente não está a dizer a verdade.  Mas poderá, isso sim, guardar as palavras que poderão fazer um poema... e ir acrescentando, juntar a outras palavras. E o poema fica feito.

Não precisa rimar, poesia não é isso. É certo que se formos pensar nos sonetos, (século XIII), há que rimar. Mas a poesia, o poema, não tem de rimar forçosamente e muito menos forçadamente.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...