quinta-feira, 26 de junho de 2014


                  POETA: António Correia de Oliveira

                                         
                                          
                                           Quando Deus fez este mundo,
                                          Dos seis dias que levou
                                          Foram cinco em Portugal;
                                          No resto, um só, e sobrou.

Vou mandar pôr na Cartilha:
Quando Deus formou Adão,
Foi de terra portuguesa
Que fez o seu coração.

Sou português de nascença,
Sou triste por simpatia...
Conheço-te pela rama
Raiz de terra sombria.

No céu há uma janelinha:
Vê-se Portugal por ela;
Quando Deus se sente triste,
Vai sentar-se junto dela...

Portugal, de tanto andar,
É tal qual como um velhinho:
Deita os seus olhos atrás,
Não se atreve a mais caminho.

Ai! de quem chama aos outros
Aquilo que chamou seu:
Ai! triste de quem tem sede
Da água que já bebeu.
(...)

[in Tesouro da Juventude, volume 9]





Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...