quinta-feira, 6 de março de 2014

POETA - DAVID MOURÃO FERREIRA

POETA - DAVID MOURÃO-FERREIRA(1927-1996) Lisboa. 
Original de Mãe Preta, letra de Piratini e Caco Velho, grande sucesso no Brasil, que foi proibido em Portugal.

O grande poeta português  David Mourão Ferreira (1927-1996)  aproveita a música e escreve BARCO NEGRO para  AMALIA RODRIGUES.

 MÃE PRETA, um poema excepcional  referindo a tragédia  da exploração, da escravatura e do racismo.

MÃE PRETA - (Piratini e Caco Velho) (Brasileiros):
   
velha encarquilhada
carapinha branca
gandola de renda
caindo na anca
embalando o berço
do filho do sinhô
que há pouco tempo
a sinhá ganhou
era assim que mãe preta fazia
criava todo branco
com muita alegria
enquanto na senzala
seu bem apanhava
mãe preta mais uma lágrima enxugava
mãe preta, mãe preta,
mãe preta, mãe preta
enquanto a chibata
batia em seu amor
mãe preta embalava
o filho branco do sinhô
          

 DAVID MOURÃO FERREIRA escreveu para Amália,  outro excepcional poema,  “Barco Negro”,  substituindo a tragédia da exploração/escravatura/racismo pela tragédia do pescador.
Amália Rodrigues tornou a música mundialmente famosa ao cantá-lo no filme francês os “Amantes do Tejo”

BARCO NEGRO:
          
De manhã, que medo, que me achasses feia!
Acordei, tremendo, deitada n'areia
Mas logo os teus olhos disseram que não,
E o sol penetrou no meu coração.[Bis]

Vi depois, numa rocha, uma cruz,
E o teu barco negro dançava na luz
Vi teu braço acenando, entre as velas já soltas
Dizem as velhas da praia, que não voltas:

São loucas! São loucas!

Eu sei, meu amor,
Que nem chegaste a partir,
Pois tudo, em meu redor,
Me diz qu'estás sempre comigo.[Bis]

No vento que lança areia nos vidros;
Na água que canta, no fogo mortiço;
No calor do leito, nos bancos vazios;
Dentro do meu peito, estás sempre comigo.


Com o advento do 25 de Abril (1974) Amália grava o original Mãe Preta em 1978. 

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...