domingo, 30 de março de 2014

CANCRO DA MAMA

NO  SEIO  DA  PRECAUÇÃO


(Você nasce sem pedir e morre sem querer! Aproveite o intervalo)

Uma das enfermidades que é hoje mais temida pela sociedade é a do cancro que se instala na mama da mulher. É uma doença matreira que invade o seio sem provocar uma dor que alerte a vítima para providenciar, atempadamente, a ajuda da medicina. Por isso, nunca é demais prevenir as mulheres contra esse perigo assassino.
Recebi, outro dia, via Net, uma mensagem que muito me sensibilizou e que me acho no dever de divulgar, como pequena contribuição para a luta contra esse maligno inimigo. Adaptei-a assim:

Um homem de meia-idade entrou num café e sentou-se. Apercebeu-se logo que, na mesa ao lado, um grupo de homens mais novos riam dele, furtivamente. Mirou-se e viu que talvez a fita rosa que levava na lapela fosse o motivo das risadas.
Tentou ignorar a provocação, mas a zombaria insistente começou a incomodá-lo. Então, olhando um deles firmemente nos olhos, levou o dedo à lapela e apontou para a fita. Com o gesto, todos soltaram uma gargalhada.
O jovem ao qual dirigiu o olhar disse-lhe, com ar jocoso:
- Desculpe, senhor, só estamos a comentar como está bonito com essa fitinha rosa no seu casaco azul.
Com toda a calma, o visado fez um gesto ao gozador convidando-o a sentar-se à sua mesa. Embora um pouco incomodado, o jovem aproximou-se e sentou-se. O mais idoso, com voz serena, disse-lhe:
- Uso a fita para chamar a atenção sobre o cancro da mama e, também, em honra da minha mãe.
- Sinto muito – respondeu o rapaz. Ela morreu de cancro na mama?
- Não, meu amigo, ela está óptima. Foram os seus seios que me alimentaram quando bebé e me abrigaram quando, em criança, tinha medos. Estou, por isso, muito grato aos seios da minha mãe e à sua saúde também.
- Entendo - respondeu o jovem – pouco convencido…
Prosseguiu o homem:
-Também uso esta fita para homenagear a minha mulher.
- Ela também está bem?
- Felizmente sim, seus seios foram fonte de amor para ambos. Com eles alimentou a nossa linda filha de 23 anos. Por essa razão, estou também muito grato aos seios da minha mulher.
- Já sei, suponho que também usa a fita para homenagear a sua filha.
- Infelizmente, é muito tarde para isso. Minha filha morreu de cancro da mama há um mês. Ela, desgraçadamente, pensou que era muito jovem para contrair a doença. Assim, quando acidentalmente notou uma pequena protuberância, ignorou-a. Pensava ela que não a incomodando e não doendo, não havia com que se preocupar. Foi fatal.
Comovido e envergonhado o jovem falou:
- Sinto muito, mesmo muito, senhor. Desculpe-nos a nossa estúpida atitude.
- Compreendo a vossa atitude. Claro que também uso a fitinha em memória da minha pobre filha. Mas, a fitinha rosa dá-me oportunidade de falar com as pessoas e aconselhar as mulheres à vigilância constante dos seus seios. Quando o amigo voltar para sua casa fale com a sua esposa, a sua mãe, as suas irmãs, as suas amigas. E, se me permite, ofereço-lhe uma fitinha cor-de-rosa.
O jovem aceitou-a e olhando-a lentamente levantou a cabeça e pediu:
- Por favor, amigo, ajuda-me a colocá-la?

Leitor: incentive as mulheres de quem gosta a visitar regularmente o médico. A vida humana é suficientemente importante para não ser inconscientemente desprezada.
                                                                                                              Carlos Brandão de Almeida      29.03.2014


Texto original Produções HUMOR DA TRETA.                                                                                                                                                                                       

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...