quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

A sala das pegas (foto da internet) 


AS PEGAS DE SINTRA, (lenda)
transformada em poema por
ALMEIDA GARRETT - 1799-1854


O escritor Almeida Garret, aproveitou a Lenda das Pegas de Sintra e escreveu este maravilhoso poema, supõe-se que a 22-07-1846. 
…….Almeida Garrett - nasceu em 1799 e faleceu em 1854. 


POR BEM


Gavião, gavião branco
Vai ferido e vão voando;
Mas não diz quem n'o feriu,
Gavião, gavião branco!

O gavião é calado,
Vai ferido e vai voando
Assim fora a negra pega
Que há-de sempre andar palrando.

A pega é negra e palreira,
O que sabe vai contando...
Muito palra a pega
Que sempre há-de estar palrando.

Mas quer Deus que os chocalheiros
Guardem, ás vezes, falando,
O segredo dos sisudos,
Que eles não guardam calando.

Era uma pega no paço
Que el-rei tomara, caçando;
Trazem-na as damas mimosa
Com a estar sempre afagando.

Nos
paços era de Sintra
Onde estava
el-rei poisando:
A
rainha e suas damas
No jardim andam folgando,

Entre açucena e rosas,
Entre os goivos trebelhando;
Umas regavam as flores
Outras as vão apanhando.

E a minha pega com eles
Sempre, sempre, palreando.
Vinha el-rei atrás de todos
Com Dona Mécia falando.

Era a mais formosa dama
Que andava naquele bando;
No ombro de Dona Mécia,
A pega vinha poisando.

E zelosa aprecia
Que os andava espreitando...
Colhera el-rei uma rosa,
A dona Mécia a ia dando,

Com um requebro nos olhos
Tão namorando e tão brando...
Inda bem, minha rainha,
Que adiante te vais andando!



Pegou na rosa a donzela,
Disfarçada a está cheirando...
Senão quando a negra pega
Que lha tira e vai voando.

Deu um grito Dona Mécia...
E a rainha, voltando,
Deu com olhos em ambos...
Ambos se estão deleitando.

-"Foi por bem!" – lhe disse o rei,
Seu acordo recobrando:
-"Foi por bem!" – "Por bem!" Repete
A pega em torno voando.

- "Por bem, por bem!" grasna a tonta,
De má malícia cuidando
Co’a chocalheira da língua
Andar a caso enredando.

Mas quer Deus que os chocalheiros
Guardem às vezes falando
O segredo dos sisudos
Que eles não guardam calando. 


Riu-se a raínha da pega 
E ficou acreditando
que a inocência do caso
Nela se estava provando. 

Da pega mexeriqueira,
Do bem que fez, mal pensando
Nos eais paços de Sintra
A memória está durando.

Eis aqui, senhores, a história
Da pega que aí vês palrando,
Da rosa que tem no bico,
Da letra que está cercando. 




AS  PEGAS DO PALÁCIO DE SINTRA - Foto do Flickr. com a devida vénia

Estas pegas estão no tecto do Palácio Nacional de Sintra , Palácio da Vila, situado na Vila de Sintra (o  Palácio das Chaminés)
(não no Castelo de Sintra)





1 comentário:

Angela Fonseca disse...

Lindo poema a cantar os pássaros de sua terra. Obrigada por compartilhar, Celeste Cortez. Tudo que diz respeito à natureza me encanta. Abraço, Angela Fonseca

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...