sexta-feira, 30 de agosto de 2013

morte da bombeira CÁTIA DIAS ao serviço da Pátria


Usa-se uma foto da internet, com o devido respeito
Ouve-se uma conversa: faleceu uma jovem bombeira, de 21 anos. Nem queremos acreditar. Não, queriam referir-se à que faleceu há uns dias. Liga-se a televisão e ouve-se: A bombeira CÁTIA PEREIRA DIAS pertencia à corporação de Carregal do Sal.
Não, não pode ser, ouvi mal com certeza. Carregal do Sal é a minha terra, é a terra de meu marido, dos nossos antepassados mais recentes. Será que ouvi bem?

A malograda bombeira Cátia Pereira Dias, de
Carregal do Sal
E porque não? Fosse qual fosse a bombeira, pertencesse a que corporação pertencesse, morreu. Morreu mais uma jovem bombeira, abnegadamente tentando salvar a nossa floresta, as nossas terras, as terras verdes do nosso país. 
Mas por que é que o vento muda? Maldito vento. Não, o vento cumpre o seu ciclo. Malditos os que pegam fogo às matas. E custa-nos a acreditar que alguém - em seu juízo perfeito - seja capaz de incendiar seja o que for, num qualquer lugar seja onde for. Mas a verdade é que aparecem os fogos. Antes de 1974 não se ouvia falar em fogos em matas. Porque ardem as florestas agora? Quem move, quem trama, com que pérfidas intenções? Estão menos cultivados os pequenos bocados de terreno ao lado dos pinhais, como estavam antigamente, é certo. Mas será só essa a causa? 
Já são cinco os mortos este ano no combate aos incêndios. Lembremos aqui os nomes dos que faleceram este ano em combate às chamas, seres humanos que perderam a vida depois de terem lutado com coragem e valentia para salvar a vida dos outros. "Vida por vida" é o lema dos bombeiros.
Neste blogue, em páginas próximas desta, prestou-se homenagem à Ana Rita Pereira, de 24 anos, mãe de uma filhita,  bombeira de Alcabideche que perdeu a vida na Serra do Caramulo, ao bombeiro também jovem de 23 anos Bernardo Figueiredo, dos bombeiros do Estoril, que também perdeu a vida no incêndio próximo de Tondela. E agora a nossa jovem CÁTIA PEREIRA DIAS, de 21 anos que perdeu a vida também próximo de Tondela, no combate ao mesmo incêndio. Segundo nos disseram pessoas da nossa terra, a Cátia viveu muitos anos em Inglaterra e resolveu voltar, foi-se inscrever nos bombeiros e ... esta tragédia aconteceu-lhe.
Foto da autora do blogue, tirada numa viagem a
Fornos de Algodres
no mês de Setembro do ano 2012.
A serra, os montes, a terra que antes matizada de tons verdes nos alegrava, é hoje, quase em todo o Portugal, cinza negra, cheirando a queimado até que venham as chuvas de outono ou inverno.
 Um louvor sai do nosso coração para todos os bombeiros. Uma prece para os  que perderam a vida em combate. Recordamos os nomes dos que faleceram recentemente: Pedro, António, Ana Rita, Bernardo, Cátia. Que descansem em Paz.

AOS FAMILIARES E AMIGOS da jovem CÁTIA DIAS que faleceu no incêndio de Tondela, a todos os meus conterrâneos do concelho de Carregal do Sal porque neste momento de grande dor todos sofremos.  (29-08-2013):

            Se eu fosse a mão direita de Deus

Como eu gostaria de estar perto de vós para vos abraçar,

Como eu gostaria que o meu abraço fosse um lenitivo

Para a vossa dor,

Como se fosse a mão direita de Deus Nosso Senhor,

Poisando de mansinho no vosso coração dorido,

E tirasse todo o sofrimento toda a dor

             Deixasse só a saudade,

a eterna saudade que só tem

quem tanto amor recebeu

de alguém que partiu

que partiu para o Além, para o Céu.

             Celeste Cortez (do livro L. de E.)


            

2 comentários:

Sami disse...

Mais uma morte que nao devia ter acontecido! Pesames a todas as familias enlutadas.

Celeste Cortez disse...

è verdade Sami, mais uma morte a enlutar os nossos bombeiros que tanto se esforçam, pagando com a vida a maldade ou desleixo de outras pessoas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...