sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

LUSÍADAS

CANTO I - ESTROFES 6 A 8 - Camões dedica a sua obra ao Rei D. Sebastião louvando-o pelo que ele representa para a independência de Portugal e para dilatação do cristianismo. Louva-o pela ilustre e cristã ascendência.  

   Estância (ou estrofe) 6
E vós, ó bem nascida segurança
Da Lusitana antígua liberdade,
E não menos certíssima esperança
De aumento da pequena Cristandade;
Vós, ó novo temor da Maura lança,
Maravilha fatal da nossa idade,
Dada ao mundo por Deus, que todo o mande,
Para do mundo a Deus dar parte grande;
ESTROFE 7 
Vós, tenro e novo ramo florescente
De uma árvore de Cristo mais amada
Que nenhuma nascida no Ocidente,
Cesárea ou Cristianíssima chamada;
(Vede-o no vosso escudo, que presente
Vos amostra a vitória já passada,
Na qual vos deu por armas, e deixou
As que Ele para si na Cruz tomou.
ESTROFE 8 
Vós, poderoso Rei, cujo alto Império
O Sol, logo em nascendo, vê primeiro,
Vê-o também no meio do Hemisfério,
E quando dece o deixa derradeiro;
Vós, que esperamos jugo e vitupério
Do torpe Ismaelita cavaleiro,
Do Turco Oriental e do Gentio
Que inda bebe o licor do santo Rio:










Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...