terça-feira, 30 de outubro de 2012

LUSÍADAS - Canto I- estrofes l a 3

Os Lusíadas - Canto I

Nas estrofes de 1 a 3 - Luís de Camões propõe-se cantar os feitos Lusitanos.        

  Estrofe 1        1
    


As caravelas dos descobrimentos 
PROPOSIÇÃO (Camões propõe-se cantar as vitórias e os homens ilustres dos feitos lusitanos. Ou seja as conquistas e navegações no Oriente nos reinados de D. Manuel e de D. João III.

Estrofe (ou estância -  1





As armas e os barões assinalados,
Que da ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca de antes navegados,
Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados,
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram;

Estrofe 2

E também as memórias gloriosas
Daqueles Reis, que foram dilatando
A Fé, o Império, e as terras viciosas
De África e de Ásia andaram devastando;
E aqueles, que por obras valerosas
Se vão da lei da morte libertando;
Cantando espalharei por toda parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.

Estrofe 3

Cessem do sábio Grego e do Troiano
As navegações grandes que fizeram;
Cale-se de Alexandro e de Trajano
A fama das vitórias que tiveram;
Que eu canto o peito ilustre Lusitano,
A quem Neptuno e Marte obedeceram:
Cesse tudo o que a Musa antiga canta,
Que outro valor mais alto se alevanta.

2 comentários:

Anónimo disse...

PODIAM TER POSTO UMA BREVE EXPLICAÇÃO

Celeste Cortez disse...

Terei muito prazer em comentar, explicar, não uma breve mas uma explicação completa, se não se escudar em anonimato. Nada há de grave em pedir tal explicação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...