sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

NATAL - DOÇURAS PARA TODOS

Aproxima-se a noite de Natal em que os cristãos celebram a festa da família. Tradicionalmente, há diversos acepipes e sobremeas  além do apetitoso bacalhau (se apenas cozido não contém colesterol, mas quem se preocupa com o colesterol numa noite tão especial?) Já lá vai o tempo em que o bacalhau era cozido com batatas e apresentado com couve, ovos, por vezes também cenoura, cabeça de nabo e até grão de bico. Hoje, em muitas casas, prepara-se a ceia da noite de Natal com bacalhau sim, (quase sempre), mas cozinhado das mais diversas maneiras.
          Para finalizar a noite, a mesa está composta das mais diversas iguarias, mas as mais usuais são fatias douradas (em algumas regiões chamam-lhe rabanadas), filhós tendidas, filhós de forma, filhós fritas, etc. Aqui ficam algumas delas. Bom apetite. Saboreie essa refeição com todo o prazer, no meio da sua família e/ou amigos, dando e recebendo carinhos, miminhos que nos fazem felizes.

Fatias douradas ou rabanadas
 1 pão cacete ou de forma
     0,5 l de leite
     125 g de açúcar
     1 casquinha de limão
     2 ovos batidos

    Óleo para fritar
    Açúcar e canela para polvilhar
    Papel absorvente
    Confeção:
    Corte o pão em fatias com 1,5 cm de espessura e coloque-as numa travessa ou tabuleiro. Ferva o leite com o açúcar e a casquinha de limão e regue com ele as fatias de pão, de modo a ficarem bem embebidas.   Depois, esprema um pouco as rabanadas, com cuidado para não se partirem, e passe-as pelos ovos batidos, escorrendo o excesso.
Modo de fazer: Leve ao lume um recipiente com bastante óleo, deixe aquecer bem e frite as rabanadas. Vire-as de ambos os lados para fritarem por igual, deixando-as alourar, retire-as, deixe-as escorrer sobre papel absorvente e passe-as, de imediato, por açúcar e canela.
 Outra maneira de fazer: Em vez de as fritar no óleo, poderá fazer como em tempos idos: levar ao lume 4 chavenas de água e duas chávenas de açúcar e deixar apurar um pouco. Ir fritando as rabanas já passadas pelos ovoso batidos, neste molho. Vá retirando com a escumadeira e deixe-as escorrer em papel absorvente.

----------------------o------------------------o------------------------o-----------------------o---------

FILHÓS * (filhó no singular, filhós no plural. Há um ditado popular que diz: por aí não vai o gato às filhozes. O povo associa filhozes a nozes, vozes.)
Filhós tendidas 
• ½ dl de aguardente branca
• 1 colher (chá) de sal
• 1 dl de água
• 1 dl de azeite
• 1,5 kg de farinha
• 100 grs de manteiga
• 7 ovos grandes
• sumo de 3 laranjas grandes
• calda de mel ou açúcar e canela p/ polvilhar
Confeção:
Peneire a farinha e escalde-a com o azeite a ferver, misturando depois os dois com as mãos, desfazendo os carolos que porventura se tiverem formado. Faça um buraco no centro da farinha, no qual deita o sal e a água tépida para o desfazer, acrescentando depois a aguardente, o sumo das laranjas e 3 ovos. Comece a amassar, juntando os restantes ovos à medida que a massa os for absorvendo. Quando a massa estiver elástica e não se pegar ao alguidar, junte a manteiga e misture bem. Tape a massa com um pano e deixe-a repousar durante 2 horas, pelo o menos.Há diversas receitas, a que costumo fazer não é esta, mas... não a encontrei neste momento.
-----------------------o----------------------o----------------------o---------------------o--------------
 A forminha para fazer estas filhós, são semelhantes a esta. Mas há de diversos feitios. Não me recordo do Natal em que não tenha confecionado filhós destas. Ficam crocantes, são muito saborosas.
 
Uma das minhas forminhas de filhós.

Filhós de forma
130 gr farinha SEM FERMENTO
1 pitada de sal
1 pitada de canela em pó
3 ovos grandes
1,25 dl leite
Aguardente ou Vinho do Porto (menos de meio cálice pequeno) – usei aguardente
1 casca de laranja (sem a parte branca) – usei uma tira com 2 cm x 5 cm
Açúcar e canela para polvilhar depois de fritas


É muito importante não adicionar fermento, pelo que a farinha a utillizar será farinha sem fermento.
 A temperatura da cozedura também é muito importante. Vá tentanto fritar até encontrar a temperatura ideal. O óleo tem de estar quente para a massa agarrar, mas se estiver demasiado quente coze a massa.
O tradicional bolo-rei, que costuma também
colocar-se na mesa de Natal (não apenas no dia de Reis)



Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...