sábado, 19 de fevereiro de 2011

ENERGIA EÓLICA

COM A DEVIDA VÉNIA, EXTRAÍ ESTAS NOTÍCIAS QUE DEVEM SER DO CONHECIMENTO GERAL


Esta é a cache do Google de http://energiaeolicas.blogs.sapo.pt/. É um instantâneo da página, tal como surgiu no dia 17 Fev 2011 22:13:10 GMT. Entretanto, a página actual poderá ter sofrido algumas alterações.


Versão apenas de textoEstes termos aparecem apenas em links que apontam para esta página: http www boasnoticias pt
HomepageArquivoEnergia Eolica


Carro completa viagem transcontinental com energia eólica
Fevereiro 17 2011
Este veículo, desenhado por um engenheiro alemão, para além de utilizar energia eléctrica produzida por um aerogerador portátil, também aproveita os ventos fortes através de kites.


Um engenheiro alemão atravessou a Austrália, um percurso com cerca de 5 mil km, num veículo eléctrico abastecido com energia eólica. Para além da electricidade produzida a partir de turbinas eólicas também foram utilizados kites para aproveitar directamente o vento para produção de movimento. Esta viagem pioneira que durou 18 dias foi realizada por Dirk Gion e Stefan Simmerer que estabeleceram três recordes mundiais: a primeira vez que um continente foi atravessado por um veículo movido a energia eólica, a maior distância percorrida por veículo terrestre movido por este tipo de energia e a maior distância percorrida por um veículo do género em 36 horas. Este veículo, denominado Wind Explorer, é um protótipo de um veículo eléctrico que pesa cerca de 200 kg, incluindo a bateria. Foi construído com fibras de carbono sob uma estrutura de alumínio e com pneus de bicicletas desportivas para reduzir o atrito. Quando as condições o permitiam, a bateria de lítio de 8kWh era carregada durante a noite através de um aerogerador portátil com 6 metros de altura. Caso não houvesse vento, o veículo era abastecido através da rede eléctrica. Todo o percurso foi concluído com apenas 11 € de electricidade. A jornada teve início dia 26 de Janeiro em Albany, o ponto mais a sul da Austrália Ocidental. Durante os primeiros 800 km o veículo moveu-se com energia eléctrica. Em Nullarbor Plain, Gion e Simmerer aproveitaram os ventos fortes e o veículo passou a ser movido apenas com o auxílio de kites. Enquanto um pilotava o carro o outro controlava um kite grande e dirigível, semelhante a um parapente. Este método não é propriamente fácil mas permitiu aos viajantes deslocarem-se centenas de quilómetros. O Wind Power chegou a Sydney, destino final, no passado dia 14 de Fevereiro. Durante a viagem o veículo atingiu os 80 km/h. O maior trajecto diário ocorreu no dia 31 de Janeiro, no qual foram percorridos 493 km. Apesar dos vários pneus furados e dos dois motores danificados, Gion e Simmerer esperam que a sua viagem recordista no Wind Explorer prove que já existe tecnologia disponível para produzir meios de transportes auto-suficientes que contribuam para a melhoria do ambiente no planeta.


fonte:http://naturlink.sapo.pt


publicado por adm às 22:11
link do post | comentar
Adicionar ao SAPO Tags |
Parque Eólico Açores foi o que mais produziu no mundo em 2010
Fevereiro 17 2011


O Parque Eólico da Serra do Cume, na Terceira, foi o que produziu mais energia a nível mundial em 2010 entre os parques eólicos que possuem aerogeradores do tipo E44, revelou hoje a Eletricidade dos Açores.No ano de 2010, a produção do Parque Eólico da Serra do Cume atingiu valores que o colocam no primeiro lugar a nível mundial, tendo por base uma listagem referente a aerogeradores do tipo E44», refere a EDA, citando dados do fabricante para este tipo de equipamentos.


Este primeiro lugar a nível mundial correspondeu a 4.268 horas equivalentes de plena produção, sendo este valor para cada aerogerador obtido pelo quociente entre a produção anual desse equipamento e a sua potência nominal.


fonte:Diário Digital / Lusa


GE aposta em novo aerogerador para aumentar vendas no Brasil
Fevereiro 16 2011
A GE Energy, que já negocia aerogeradores com os empreendedores eólicos desde o primeiro leilão da fonte, em 2009, quer aumentar sua participação no mercado com o certame deste ano. Em 2009, a companhia fechou contratos com 25% dos parques vencedores, enquanto, em 2010, o market share caiu para 22%. Para aumentar as vendas em 2011, a empresa aposta em um modelo de aerogerador lançado no final do ano passado, o GE 1.6MW com rotor de 100 metros.


Até o momento, quase todos acordos fechados envolveram turbinas do modelo de 1.5MW que, posteriormente, foram aprimoradas para uma máquina com 1.6MW e 82,5 metros de rotor. É esse último aerogerador que foi atualizado, com o aumento no tamanho do rotor. O produto une características de uma turbina de 1.6MW com outras comuns a uma turbina de 2.5MW - exigências para que o equipamento aguente o peso do rotor maior.


A GE apresenta o produto como um aerogerador capaz de transformar um site com uma performance mediana em usina viável para disputar os leilões. A estimativa da companhia é que, em um parque sob ventos fracos, mais adequados às características da máquina, ela seja capaz de aumentar um fator de capacidade de 38% para algo em torno dos 47%. A simulação compara uma usina com aerogeradores de 1.5MW a uma que utilize o novo equipamento.


O Jornal da Energia apurou que a companhia acredita que o produto é o que possui "a melhor curva de potência do mercado, com folga" e espera que a novidade ajude os empreendedores a vencer a disputa nos leilões. O equipamento tem 60% de conteúdo nacional, tanto em peso como em custo, o que permite aos investidores solicitar financiamentos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a aquisição.


Os equipamentos serão fabricados na unidade da GE em Campinas, interior de São Paulo. A planta não está com toda a capacidade instalada ocupada, o que abre espaço para as novas negociações. As primeiras máquinas construídas na fábrica serão entregues em certa de dois meses - a partir de quando a planta deve operar a todo vapor, uma vez que a maior parte das encomendas estão com entrega marcada para 2011 e 2012.


Obstáculos para inovação
Apesar do lançamento recém-anunciado, a GE continua pesquisas para produzir novos aerogeradores no País. A reportagem ouviu, junto a uma fonte da empresa, que uma das pedras no caminho desse desenvolvimento é o preço do aço brasileiro. Isso porque um dos meios de alcançar um melhor desempenho nos parques eólicos seria aumentar a altura das torres. A solução, porém, esbarra no preço das chapas de aço utilizadas para contruir essas estruturas.


Segundo o funcionário ouvido pela reportagem, o único fornecedor do mercado nacional cobra muito mais do que empresas chinesas por produtos iguais. O que impede os empreendedores de utilizar soluções para gerar mais energia, porém, são as regras de financiamento do BNDES, que pedem ao menos 60% de componentes pessoais na torre. Essa porcentagem leva em conta peso e valor da peça, o que faz com que, devido ao peso, as torres não possam ser importadas.


fonte:http://jornalenergia.com.br/


Montagem de geradores para projeto piloto de parque eólico em Tapes começa em 30 dias
Fevereiro 16 2011
Depois de reunião de pouco mais de 20 minutos com o governo do Estado, representantes do grupo espanhol Impel e do indiano Suzlon anunciaram que deve começar em 30 dias a montagem dos dois aerogeradores que serão instalados no município de Tapes, na região Sul do Estado, como projeto piloto para o parque eólico que planejam instalar no local. Os aerogeradores terão capacidade para 4,2 megawatts (MW) de energia.


Participaram da reunião no Palácio Piratini o presidente da Impel no Brasil, Lusivaldo Monteiro, o CEO mundial da Suzlon, Tulsi Tantia, o presidente da Suzlon do Brasil, Arthur Lavieri, o governador, Tarso Genro, o vice-governador, Beto Grill, e os secretários de Desenvolvimento, Mauro Knijnik, de Infraestrutura, Beto Albuquerque, do Gabinete dos Prefeitos, Afonso Motta, além do presidente da CEEE, Sérgio Dias.
Na saída da reunião, os empresários reafirmaram o interesse de investir no RS e apontaram a importância estratégica de Tapes, pela produção de água, alimentos e energia. Também destacaram a necessidade da construção do terminal portuário, de uma subestação de energia e do parque eólico projetado pela Impel em parceria com a Suzlon como base para montagem de uma futura fábrica de aerogeradores na região.


Antes de vir para Porto Alegre, os empresários visitaram na manhã desta terça-feira a área próxima ao futuro terminal portuário de Tapes onde a empresa estuda instalar o parque eólico, chamada Capão da Moça, e se reuniram com o prefeito de Tapes, Sylvio Tejada, e com o vice-governador.


O CEO da Suzlon disse que ficou "impressionado" com as condições naturais do município. Para ele, a região tem "excelente qualidade de vento" para a produção de energia eólica e pode gerar entre 3000 MW e 5000 MW de energia eólica por ano. Atualmente, todo o Brasil produz em torno de 900 MW.


fonte:http://zerohora.clicrbs.com.br/


publicado por adm às 23:20
link do post | comentar
Adicionar ao SAPO Tags | Blogar isto | adicionar aos favoritos
tags: brasil
PDFEmail


Sinovel prepara-se para lançar sua primeira turbina eólica de 6 MWs da China
Fevereiro 14 2011
Sinovel Wind Group Co., maior fabricante de gerador de energia eólica da China, anunciou hoje que deve terminar a produção da primeira turbina eólica de 6 megawatts desenvolvida independentemente pelo país em junho.
A turbina colocará o grupo Sinovel na mesma posição que o Enercon da Alemanha e o Vestas da Dinamarca na produção do mais poderoso gerador de vento do mundo.
O Vestas informou no início deste mês que lançará sua primeira turbina de 6 megawatts antes do final de março.
"O Sinovel possui os direitos de propriedade intelectual global por sua turbina eólica de 6 megawatts. O desenvolvimento do produto possibilitou a produção relevante de peças e componentes na China", indicou Tao Gang, vice-gerente-geral do Sinovel.
Tao afirmou que a turbina do Sinovel promoverá a indústria de energia eólica do país, especialmente os projetos de energia eólica no mar.
O Sinovel começou a desenvolver a turbina de 10 megawatts, revelou Tao.
Trinta e quatro turbinas eólicas marítimas de 3 megawatts, desenvolvidas pelo Sinovel no Projeto de Base Eólica Marítima da Ponte Donghai de Shanghai, foram ligadas à rede em agosto de 2010. Este foi o primeiro projeto nacional de geração de energia eólica marítima. Espera-se que o projeto produza energia suficiente para suprir 200 mil famílias por ano.


O Sinovel lançou a Oferta Pública Inicial (IPO, na sigla em inglês) na Bolsa de Valores de Shanghai em janeiro, ao preço recorde de 90 yuans (US$ 13,6) por ação. A companhia lançou a turbina de 5 megawatts desenvolvida exclusivamente pelo grupo em outubro de 2010.


fonte:portuguese.cri


Fevereiro 09 2011 - Governo planeia concurso para projectos de eólica offshore
O secretário de Estado para a Energia e Inovação, Carlos Zorrinho, abriu a porta a um concurso de demontração pré-comercial em eólica offshore a realizar até ao final do ano. A atribuição de licenciamento a novos projectos específicos para águas de pouca profundidade está, no entanto, dependente dos resultados do projecto-piloto da EDP Renováveis, WindFloat, que deve arrancar no Verão.


«Se este primeiro protótipo de uma plataforma flutuante para eólica offshore correr bem, avançaremos para um concurso», afirmou Carlos Zorrinho, durante o seminário “O Sector das Energias Renováveis em Portugal e França”, promovido na terça-feira pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Francesa. O Secretário de Estado reforçou ainda que a aposta do Governo na eólica offshore é para continuar., ainda que de forma sustentada. «Se depender de mim, a galinha dos ovos de ouro vai continuar a pôr um ovo de cada vez», afirmou, referindo-se à estratégia energética nacional.


O projecto WindFloat conta com o know-how da norte-americana Principle Power e, de acordo com Carlos Zorrinho, começará a ser testado no Verão. A tecnologia, semi-submersível composta por três pilares, vai a banhos na Aguçadoura, entre Figueira da Foz e Santa Maria da Feira.


fonte:ambienteonline


Fevereiro 08 2011 - Portugal terá primeira torre eólica flutuante
A primeira torre eólica flutuante em Portugal será instalada durante este verão, conforme adiantou esta terça-feira o secretário de Estado da Energia e Inovação, Carlos Zorrinho, à margem do seminário "O Setor das Energias Renováveis em Portugal e França: Oportunidades e Parcerias", que se realiza na cidade do Porto.


O governante sublinhou que a costa portuguesa tem um grande potencial energético, com muito sol e muito vento, mas o mar é muito profundo e turbulento.


"O mar português é de maior profundidade, pelo que tem de ser uma tecnologia diferente daquela que existe. Vamos investir para sermos pioneiros no desenvolvimento dessa tecnologia", afirmou, em declarações à agência Lusa.
"Este verão teremos a primeira torre eólica flutuante no mar e a seguir vamos abrir concurso para colocação de mais torres", referiu Carlos Zorrinho, que apesar de Portugal estar a dar passos no "offshore", "ainda não se fez tudo o que tinha a fazer no ´inshore` ".


Assim sendo, de acordo com o mesmo responsável, a capacidade de produção de energia eólica em terra vai continuar a ser aumentada.


fonte_:http://www.boasnoticias.pt/


Parque eólico no Malhanito até Setembro
Janeiro 31 2011
A Câmara Municipal de Tavira está a ultimar o licenciamento para a construção de um parque eólico com 19 aerogeradores no Malhanito, freguesia de Cachopo.


Jorge Botelho, presidente da câmara, precisou tratar-se de "um investimento de 70 milhões de euros", cuja obra deverá começar em Abril. O edil espera que o parque eólico comece a funcionar em Setembro, com "20 a 30 postos de trabalho, sendo que na construção serão mais cerca de 100".


Na freguesia de Cachopo há uma plataforma da Rede Eléctrica Nacional de muito alta tensão, num investimento de 60 milhões de euros. O autarca diz que a as obras de instalação dessa plataforma revitalizaram a economia da freguesia e que "agora vai continuar com o parque eólico".


fonte:http://www.cmjornal.xl.pt


Partilhar por emailfecharNome do remetenteNome do destinatárioEmail do destinatário


Câmara de Tavira analisa pedido de licenciamento para parque eólico de 19 torres
Janeiro 30 2011
A câmara de Tavira recebeu o pedido de licenciamento para a construção de um parque eólico na freguesia de Cachopo, na serra algarvia, que deverá arrancar em abril, revelou o presidente, Jorge Botelho.


Em entrevista à agência Lusa, o autarca precisou tratar-se de “um investimento de 70 milhões de euros” para a montagem de 19 aerogeradores.


“Em termos de energias renováveis, temos um processo de licenciamento de um parque eólico, do Malhanito, que vai contemplar 19 torres com aerogeradores", afirmou Jorge Botelho, adiantando que o investimento é de 70 milhões de euros e que deverá começar a ser feito a partir de abril.


O autarca socialista frisou que essa “é a data em que o promotor do parque do Malhanito quer iniciar o investimento”, já “aprovado pela Direcção Geral de Energia”.


“Estamos a trabalhar no processo de licenciamento para que possa ver a luz do dia em setembro na zona de Cachopo”, na serra algarvia, acrescentou.


Jorge Botelho disse ainda que o parque vai criar “20 a 30 postos de trabalho, sendo que na construção serão mais, cerca de 100”.


O presidente da câmara algarvia revelou também que “há um conjunto de promotores" que têm manifestado interesse na área da energia solar.


"Ganharam as licenças e agora estão no terreno para encontrar os espaços adequados para que as licenças possam ser efetivas, porque precisam de ter terrenos alugados ou comprados para instalar os fotovoltáicos, e é isso que estamos a tratar neste momento”, adiantou.


O autarca recordou que ainda na freguesia de Cachopo “há uma plataforma da Rede Eléctrica Nacional (REN) de muito alta tensão a ser feita", num investimento de 60 milhões de euros.


“Tem sido feita uma distribuição da rede de muita alta tensão, andaram a passar cabos elétricos com torres na serra, o que agregou muita gente, pois trabalharam algumas dezenas largas de pessoas, e a economia de Cachopo revitalizou por causa disso e agora vai continuar com o parque eólico”, disse ainda o autarca.


fonte:Lusa


França lança concurso para eólica offshore
Janeiro 30 2011
A França anunciou esta terça-feira que tem em marcha concursos para a concretização de um projecto eólico offshore de 10 mil milhões de euros, com capacidade de geração de 3 000 MW de energia. Ainda assim, os ambientalistas avisam que é preciso fazer mais para que o País possa cumprir as metas europeias. «Este novo sector irá gerar 10 000 postos de trabalho», adiantou o presidente francês Nikolas Sarkozy.


No total, a França estima ter uma capacidade de 25 GW de energia eólica em 2020, em resultado de um investimento de 20 mil milhões de euros. O país poderá assim tornar-se o terceiro maior mercado europeu na eólica offshore.


fonte:ambienteonline

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...