quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

MALANGATANA

MALANGATANA - Nasceu a 06-06-1936 em Matalana, Moçambique - Faleceu a 05-01-2011 (Hospital Pedro Hispano) - Matosinhos.

Quando morre uma pessoa, o mundo fica mais pobre. Quando morre um génio, o mundo não mais recupera a sua perda, é a minha convicção.

A minha homenagem ao famoso pintor, representante cultural de Moçambique, está nas páginas 418/420 (na 2ª. edição está na página 407, 408 e 409)  do romance "MÃE PRETA", romance que finalizei em meados de 2008 (antes de Malangatana ter falecido)  e aqui deixo registado: 

CAPÍTULO XXV
– Meninas, hoje vamos começar a nossa aula a falar de um pintor moçambicano ainda muito jovem (O romance referia-se aos anos 60 do século passado!) que já tem uma fama extraordinária, já expôs e ganhou prémios. Sabem quem é?
– Sô Doutor, se calhar, é um novo Miguel Ângelo – disse a Cristina, a brincar.
– O Miguel Ângelo era italiano, não era moçambicano – disseram várias alunas ao mesmo tempo.
– Este pintor moçambicano é natural de Matalana, distrito de Marracuene, e chama-se Malangatana Valente Ngwenya. A sua pintura é inédita, criou um estilo próprio, inconfundível. Pinta as mulheres da nossa terra, com as suas capulanas coloridas, umas a darem o leitinho aos filhos, outras a levarem as suas crianças pela mão. Em Lourenço Marques, já fez exposições em 1959 e em 1961. Numa delas teve um segundo prémio ex aequo.
– O que é isso, Sô Doutor?
– Ó meninas, mas isto não é uma aula de latim. Mas vá lá: ex aequo quer dizer que o prémio foi repartido por ele e por outro pintor. Tinha sido uma exposição… digam, meninas digam: cole…
– Colectiva, Sô Doutor.
– Isso mesmo, meninas. Em 1961, fez uma exposição individual. É considerado o mestre das artes, o maior artista moçambicano. Nasceu em 1936, começou a pintar aos dez anos de idade. Mas há mais pintores, jovens, moçambicanos. Admiro a pintura deste especialmente, por isso vos falo dele em primeiro lugar.
– Sô Doutor – disse a Glorinha a rir – tenho de lhe pedir para pintar a minha folha da prova de exame, se não, não passo a desenho…
Do fundo da sala, ouviu-se uma voz:
– Pede à ............................(deixo esta parte para os leitores lerem o romance "Mãe Preta" e depois enviarem-me os vossos comentários). 
- Bom, e, já que falámos muito, agora vamo-nos concentrar na nossa aula de desenho. E prometo que na próxima trago um pequeno quadro do Malangatana para apreciarmos a sua obra-prima. Não resisti a falar-vos dele. É um pintor excepcional.

---------------------------------ooooo----------------------------ooooo------------------------
Assim como escrevi no romance MÃE PRETA,concordo que MALANGATANA é um pintor excepcional.
Um bom artista, tem sempre com ele as ferramentas de trabalho, por isso, rogo-te, MALANGATANA, pinta nesse espaço especial onde agora estás, um bonito quadro para todos nós. Que seja o melhor de todos os teus quadros. Um quadro que inclua saúde, felicidade, paz mundial.
Para mim em particular - que nunca consegui comprar um quadro teu - pinta aquele que eu desejo e mereço. Tu sabes qual é. OBRIGADA, MALANGATANA.
Um abraço saudoso da Celeste Cortez

Celeste Almeida de Campos Cortez-Silvestre

1 comentário:

Anónimo disse...

Muito educativo e uma fantástica contribuição na divulgação do nosso querido Moçambique.

Bonita e comovente a rogatória a Malagatana.

Resta-me (nos) o consolo de saber que em Moçambique existe um oásis artístico inestimável e que cedo, cedo, veremos consagrado um outro qualquer artista, cuja obra se constituirá, ela própria, mais uma honrosa homenagem ao grande Malagatan que vemos agora partir.

Miguel Mancellos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...