sexta-feira, 1 de outubro de 2010

A MINHA ÚLTIMA FOTOGRAFIA COM A PRINCESA DIANA

Minhas netas Tânia e Nadine e eu no Museu Tussaud's-Londres, vendo-se o busto em cera da princesa Diana
(Julho 1997)
A MINHA ÚLTIMA FOTOGRAFIA COM A

PRINCESA DIANA

Só a conheci através das revistas e da televisão quando se começou a falar no seu namoro com o Príncipe Carlos, o que viria a ser, segundo a opinião da época, o futuro rei de Inglaterra. Ele tinha escolhido, dizia-se, para sua companheira, mãe de seus filhos e futura rainha, Lady Diana Spencer.
E nós? Nós o público? Não é por nossa causa que os jornais e revistas lutam para nos dar as imagens mais sensacionais da vida dos ricos e famosos?
Naquele tempo eu estava demasiado ocupada como empresária e estudante, para me preocupar com as novidades do romance entre Lady Diana Spencer e o Príncipe Carlos de Inglaterra. Como dizem os nossos irmãos brasileiros: "Fofoca" nunca me interessou.
Mas minhas filhas, ainda jovens, iam coleccionando as fotos dos jornais. Ficavam extasiadas com os seus maravilhosos vestidos.

E, todos nós, mais cedo ou mais tarde, deixamos de nos alhear com o que se passa à nossa volta, com aquilo de que "todo o mundo fala".

(foto da net)

E, também eu, sentada num sofá, passei horas a ver pela televisão a transmissão do "casamento do ano". Achei o vestido demasiado "pesado" para uma cara tão juvenil, tão bela, mas minhas filhas acharam-no encantador, não fossem elas jovens fãs duma princesa de conto de fadas.
Através dos tempos, notei que a princesa foi mudando as suas feições de menina para mulher e, cada vez mais encantadora.Quem teria ficado completamente indiferente? Quem não gostaria de tirar uma foto ao seu lado, para a posteridade? Até eu, se pudesse ter esse privilégio...
E um dia sucedeu!...Foi apenas há algumas semanas, precisamente no dia 30 de Julho deste ano (1997). Estive tão perto da princesa Diana que não resisti ao desejo de tirar uma fotografia para o meu álbum de recordações. E, acompanhada de duas netas, compus um sorriso que não saiu nada bem, porque o "flash" da máquina tinha disparado antes de eu estar totalmente preparada.
Olhei a princesa bem de frente, de lado e de todos os ângulos, ela irradiava harmonia, com o seu belo vestido comprido branco. Linda, sempre linda.De qualquer ângulo que a olhasse, o seu olhar sorria, com o sorriso tímido que lhe conhecemos, mas com um sorriso leal, bondoso e corajoso até.
Senti-me de repente mal vestida, ali tão perto de uma princesa tão bonita e tão elegantemente vestida.Mas quem era eu afinal? Apenas mais uma turista que visitava o Museu Madame Tussaud's, em Londres, onde a princesa Diana está modelada em cera, como tantos outros personagens famosos. Senti-me indignada por ela estar uns metros atrás da restante família real, apesar de ser a mãe do que agora se prevê vir a ser o futuro rei de Inglaterra, já que a rainha Isabel está com 71 anos e parece não abdicar do seu lugar.
De certeza que a princesa querida dos ingleses, e de milhões de pessoas de todo o mundo, teria já estado ao lado do príncipe Carlos, naquela fotografia de família, mas ao cair em desgraça, foi "passada" para trás.
Longe de querer julgar alguém porque só Deus nos pode julgar, sei, e todos sabemos, pelas revistas e televisão, que, antes de ela ter traído o marido, o homem que sempre amou e não sei se ainda amaria, o seu príncipe, ele traiu-a primeiro. Dizem as revistas credíveis que, mesmo antes do namoro com Lady Diana, andava o príncipe Carlos às escondidas com Camila Shand. Embora ela não tivesse nem tenha grande beleza, havia um "magnetismo" que atraía um para o outro. Porém, o príncipe teria de escolher uma mulher para o futuro rei de Inglaterra e não para ele próprio. Coisas da monarquia! Como tal Camila não tinha absolutamente qualquer hipótese de ser escolhida. Era mais velha do que ele, os seus antepassados não tinham linhagem real "suficiente", apenas descendia,  por parte da mãe, de uma família aristocrata. 
Camila Shand, casou com Parker-Bowles, que era familiar de grandes titulares da Grã-Bretanha. O príncipe Carlos é, por acaso, padrinho de Thomas Henry Charles, filho de Camila Shand Parker-Bowles.
Dizem as revistas, que foi Camila a primeira a lembrar a Carlos que deveria casar com Lady Diana Spencer, porque, (aqui entra o que dizem as revistas e a má língua) sendo ela tão ingenuazinha, eles poderiam continuar o seu romance, tão certa estava Camila de que a futura princesa poderia ser tão compreensiva como era seu próprio marido Sir Parker Bowles!
Lady Diana Spencer, agora Princesa de Gales, teria sido muito inocente, mas depressa se fez mulher e, como qualquer outra mulher, sabe, mais tarde ou mais cedo, se seu marido lhe é infiel.
Pela grande paixão que tinha ao seu príncipe, para reaver o amor da sua vida e o pai dos seus filhos, para lhe chamar à atenção do desgosto que ele lhe causava ignorando-a, insultando-a e dizendo-lhe que nunca deixaria Camila, a Princesa Diana tentou, mais do que uma vez, o suicídio.Poderemos culpá-la só a ela? Qual a mulher que, gostando do seu marido, tendo-lhe sido fiel, reage de cabeça "fria", se tem de compartilhar, ou melhor, dar totalmente o seu marido, o amor do seu coração? 
É certo que os fins não justificam os meios, infelizmente a princesa cansada dos desgostos constantes, ou para fazer ciúmes ao marido, pelo amor próprio ferido, por vingança, ou - quem sabe? - apenas por precisar de chorar as suas mágoas nos braços de um amigo, foi encontrar a desgraça, num amigo que, de amigo nada teve.
A nossa sociedade aceita, limpa a nódoa que o homem fez, mas a desgraçada da mulher, se escorregar, é apontada a dedo, não terá mais o seu nome limpo na sociedade. O homem pode satisfazer, com outra mulher, os seus desejos nem que seja só para variar, mas a mulher pode viver sem carinho, sem um abraço que a conforte, sem o ombro onde chore as suas mágoas. Sociedade impiedosa, onde o homem continua a ser o machão, onde o homem faz o que quer... e parece que nada lhe fica mal.
E a mulher? Apesar de haver um dia dedicado à mulher, nada se fez para que os valores morais sejam respeitados pelo marido!
Para muitos, a princesa Diana não poderia arranjar um namorado e casar outra vez. Se ela dá um abraço, um beijo carinhoso a um homem de quem começa a gostar, é um escândalo. Os fotógrafos perseguem-ma, não a deixam - como nunca a deixaram - ter uma vida privada, apesar de já ter "abdicado" do título de Alteza Real.
Passado um mês e pouco, a fotografia que tirei perto da princesa Diana, que era apenas uma princesa modelada em cera, no Museu Madame Tussaud's, em Londres, vai mesmo ser a última fotografia que tirei a seu lado, porque a Princesa Diana morreu num trágico acidente. 
Espero que no seu lugar no Museu da Cera, não a substituam pela Camêla, quero dizer Camila. Esta, divorcidada de Parker-Bowles e agora Carlos viúvo, com certeza poderão casar sem qualquer entrave com o consentimento da Raínha e.  quem sabe, até com muitos aplausos.
Eu, sinceramente, gostaria que o modelo de cera da Princesa Diana não fosse afastado do Museu de Cera de Londres, Diana pertence à História, foi mãe de dois príncipes da família dos Windsor, netos da actual rainha de Inglaterra, herdeiros do trono inglês. Porque se a tirarem do museu de cera, não poderei dizer-lhe, baixinho, como lhe disse da última vez:
- Obrigada Diana pelas lições que me deste a mim e ao mundo, quando eu ainda tinha receio de passar ao lado de um doente com SIDA, visitavas hospitais e tinhas amigos que sofriam desse mal;
- Já não tentarás seguir Madre Teresa de Calcutá, (também recentemente falecida e cuja obra o mundo inteiro reconheceu como meritória) a fazer o Bem na Terra. Não ajudarás os necessitados, nem as crianças mais pobres;

Com Madre Teresa de Calcutta (foto da net)

- Não mais apertarás ao peito uma criança angolana negra, cuja mãe foi morta na guerra;
- Já não te sentarás a falar aos meninos sem pernas ou com pernas de pau que uma mina lhes destruiu, fazendo-lhes perder a fé na vida;
- Já não irás a países onde houve guerra, para chamares a atenção do mundo para as minas que poderão rebentar e matar pessoas inocentes;
- Já não venderás os teus vestidos para ofereceres o dinheiro para ajudar na luta contra a SIDA e contra o CANCRO.
.................................................................................................
Na madrugada do dia 31 de Agosto, Lady Diana Spencer, Princesa de Gales (Wales) e Princesa do Mundo, faleceu num grave acidente de automóvel, quando ia com aquele que, no futuro,segundo parecia, lhe iria dar o amor que qualquer ser humano precisa e o seu ex-marido nunca lhe deu. Tiveram de fugir dos fotógrafos, que os perseguiam e que, como sempre, desde os seus 19 anos quando começou a namorar com o príncipe Carlos, nunca a deixaram em paz. Por culpa da imprensa ávida de sensações. Por nossa culpa que gostamos de saber da vida dos ricos e famosos.
Que todos os leitores do Página Beirã, guardem um minuto de silêncio, pois acabou de morrer uma boa MÃE e uma grande MULHER. Que a Princesa Diana viva sempre na nossa memória.
Escrito para o Página Beirã (de Carregal do Sal), em São Carlos -Mem Martins/Sintra, na manhã em que a princesa morreu, 31 de Agosto de 1997. Publicado por Página Beirã a 11-09-1997 (Pag.1,5,e 6).
Celeste Almeida de Campos Cortez Silvestre (Celeste Cortez) 
Todos os direitos reservados, excepto como breve citação em artigos.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...